Deixar de Fumar

Uma das principais razões porque as pessoas voltam a fumar, depois de deixarem esse hábito, é o efeito emocional e psicológico que a privação da nicotina tem.
A hipnoterapia clínica dispõe de técnicas em que este efeito não é sentido pelo fumador, além deste deixar definitivamente o hábito de fumar. O tratamento para o deixar de fumar é feito numa única sessão, tendo o paciente direito a uma consulta grátis de follow-up, em caso de retorno ao hábito ou alguma ansiedade manifesta. Raríssimas vezes a consulta de follow-up é solicitada, pois existe uma condição sine qua non para que o terapeuta se prontifique a realizar o tratamento. Esta condição diz respeito à verdadeira vontade do paciente em deixar de fumar e não porque alguém ou outra justificação qualquer seja a razão da terapia.

Alguns dos benefícios para quem deixa de fumar são:

  1. 20 minutos depois de deixar o cigarro, a pressão arterial, os batimentos cardíacos retornam ao normal e a temperatura do corpo (mãos e pés) baixam ao nível normal;
  2. Em 8 horas o nível de Monóxido de Carbono (gás tóxico) no sangue já baixou à metade, e o nível de oxigénio no sangue sobe a seus níveis habituais.
  3. 24 horas depois de largar o vício, as chances de enfarte começam a reduzir-se;
  4. Em 48 horas, a probabilidade de sofrer um ataque cardíaco terá diminuído e toda a nicotina terá abandonado o corpo. O sentido do gosto e do olfato regressam aos níveis normais.
  5. Após 3 dias, há um aumento da capacidade respiratória. O volume pulmonar e a energia aumentam;
  6. De 2 a 12 semanas a circulação sanguínea melhora;
  7. No intervalo de 1 a 9 meses a tosse e as infecções das vias aéreas começam a cessar. A capacidade física melhora;
  8. Em 1 ano diminui o risco de doença coronária em 50%.
  9. Em 5 anos o risco de sofrer uma embolia será o mesmo que o de um não fumante.
  10. Em 10 anos caem as chances do aparecimento de cancro;
  11. No período de 10 a 15 anos o perigo de desenvolver problemas cardíacos se iguala ao de uma pessoa que nunca fumou.

 

Sabia que:

Os ingredientes utilizados no fabrico de cigarros talvez sejam até setecentos adititivos químicos, mas que a lei permite que os fabricantes guardem a lista em segredo?
Entre os ingredientes constam, no entanto, metais pesados, pesticidas e insecticidas que são tão tóxicos que é ilegal despejá-los em aterros. Toda aquela espiral de fumo está repleta de umas 4000 substâncias, entre elas butano, cianido, acetona, monóxido de carbono e arsénico. Tanto os fumantes como os fumadores passivos ficam expostos a, no mínimo, 43 substâncias comprovadamente cancerígenas.

 

Aqui ficam enumerados alguns dos prejuízos pelo fumo do tabaco:

  • O pulmão humano é composto por alvéolos, que são uns pequenos glóbulos. O fluxo de sangue e a irrigação sanguínea entre o coração e o pulmão são intensos. O fumo do tabaco prejudica diretamente o funcionamento do sistema coração-pulmão. Com o passar do tempo os alvéolos pulmonares vão sendo cimentados pelos componentes do fumo do tabaco, deixando de fazer a sua função. O organismo então passa a ter menor oxigenação dos tecidos, resultando em maior facilidade de cansaço para o fumante. O cigarro também causa inúmeros danos ao coração, tal como ataque cardíaco.
  • Cancro do Pulmão (87% das mortes por cancro do pulmão ocorrem entre os fumantes),
  • Doenças Cardíacas (os fumadores correm um risco de 70% maior de apresentar doenças cardíacas),cancro da mama (as mulheres que fumam 40 ou mais cigarros por dia têm uma probabilidade 74% maior de morrer de câncer de mama), deficiências auditivas (os bebés de mulheres fumantes têm maiores dificuldades em processar sons), complicações da diabetes, cancro do cólon, asma, leucemia (suspeita-se que o fumo cause leucemia mielóide), contusões em atividades físicas, memória fraca, depressão, suicídio, cancro da boca, laringe, garganta, esófago, pâncreas, estômago, intestino delgado, bexiga, rins e colo do útero; AVC, doenças pulmonares crónicas, distúrbios circulares, úlceras pépticas, diabetes, infertilidade, bebês abaixo do peso, osteoporose e infecções dos ouvidos.